O que é cheque especial e por que é bom evitá-lo?

O que é cheque especial e por que é bom evitá-lo?

O que é cheque especial e por que é bom evita-lo
Divulgue essa notícia

Todo mundo que conhece o cheque especial sabe como sua forma de uso é bastante prática. Contudo, é justamente pela facilidade que esse crédito costuma ser uma grande dor de cabeça para qualquer consumidor. Talvez, boa parte deste problema seja porque o usuário não sabe o que é cheque especial e acaba por utilizá-lo sem controle.

Uma prova disso é que em recente apuração feita pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), foi apurado que 51% dos que utilizam esse crédito não sabem da existência dos juros.

Por isso, neste texto esclareceremos tudo o que você precisa saber sobre essa modalidade de empréstimo. Confira.

O que é cheque especial e como funciona?

Para alguns, a solução para imprevistos financeiros, para outros a possibilidade de obter mais renda para quitar despesas. O cheque especial é definido como uma espécie de crédito pré-aprovado fornecido pelos bancos. Concedido diretamente na conta corrente, sempre que o cliente ultrapassa o valor de sua conta, passa a usar automaticamente o crédito especial oferecido pela instituição financeira.

Antes de liberar este valor, o banco analisa os dados do cliente e as suas movimentações na conta. A partir daí, ele determina o limite do cheque especial. O valor utilizado pelo cliente é debitado diretamente na sua conta, acrescido de altos juros.

Quer saber o motivo dos juros serem tão altos? Acompanhe a seguir.

Por que os juros do cheque especial são tão altos?

O motivo principal para os juros serem tão altos é porque o banco fornece esse crédito sem exigir nenhuma garantia. O que é muito diferente de outros empréstimos, em que a instituição precisa avaliar se o cliente será capaz de quitar a dívida.

Além disso, o cheque especial é concedido sem a necessidade de ir até a financeira, combinar as condições e firmar um contrato a fim de receber a quantia.

Com toda essa praticidade muita gente acaba gastando o crédito sem freio, pois acredita que ele é como uma ampliação da sua conta corrente.

Para se ter uma ideia, os juros do cheque especial em junho deste ano corresponderam a 322,6% ao ano. Um valor extremamente alto se comparado com juros de qualquer outra linha de crédito.

Saia do Cheque Especial

Por que se deve evitar usá-lo?

Mesmo para quem não costuma usar todo o valor do cheque especial, é interessante evitá-lo. Com a sua disponibilidade, é muito fácil criar despesas acreditando que sempre terá aquele limite.

Se por acaso a data limite do pagamento for ultrapassada e o usuário não tiver como cobrir, além de pagar os juros, é adicionada uma multa definida pelo banco. Ou seja, no final das contas, o usuário é obrigado a lidar com uma dívida muito maior do que a feita.

Mesmo que necessite utilizar esse dinheiro, o mais recomendado é que se faça outro tipo empréstimo, pois usar o cheque especial é aumentar as chances de entrar em inadimplência.

A seguir, vamos apresentar quais são as melhores formas de agir se você já está com problemas no cheque especial.

Como livrar-se do cheque especial?

Se você não conseguiu controlar os seus gastos e acabou entrando no cheque especial, não se preocupe: separamos 6 dicas para você lidar com esse problema. Confira:

1. Cuidado com o débito automático

Uma das formas mais fáceis de usar o cheque especial, mesmo sem querer, é não prestar atenção nas contas que estão no débito automático. Não é raro que uma despesa apareça e automaticamente acabe caindo na área desse crédito. No final das contas, você pagará não apenas a conta, mas também os juros altos do cheque especial. Tome cuidado.

2. Converse com o seu banco

Aqui, mais especificamente com o seu gerente, pois é importante que se a sua situação está muito complicada você saiba quais são as reais condições da sua conta corrente.

Também é o momento ideal para que você seja sincero sobre a sua capacidade de quitar as despesas e procure uma forma de negociação. Defina bem o valor das parcelas e os possíveis descontos se for pagar à vista.

3. Escolha o melhor para você quando se trata das parcelas

O valor das parcelas é um ponto importante na negociação. Se você não souber qual é o total da dívida, é possível dividi-la em prestações mais brandas, em vez de valores muito altos.

Claro que há grande possibilidade de que para obter essa vantagem você tenha que passar mais tempo pagando. Porém, é melhor pagar por mais tempo do que acabar com problemas nas suas finanças por causa de uma grande despesa.

Escolha sempre uma forma de pagamento em que você possa quitar sem dificultar a sua vida.

4. Substitua uma dívida por outra

Sabemos que o título pode parecer confuso. Afinal, você está querendo se livrar de uma dívida e não obter mais uma.

Entretanto, no caso do cheque especial, às vezes é mais interessante utilizar outro empréstimo para pagá-lo e assim evitar que os seus juros exorbitantes o prejudiquem por um longo tempo.

O empréstimo com garantia de veículo (conhecido como refinanciamento), por exemplo, é uma boa opção para quitar o cheque especial, já que os seus juros são bem menores. Além, é claro, de que o valor das parcelas já é descontado no salário.

5. Utilize a portabilidade de crédito

Para quem não sabe, na portabilidade de crédito é possível transferir a dívida de uma instituição financeira para outra. Essa disponibilidade é uma grande chance de obter juros menores. Além disso, é um procedimento gratuito e o cliente pode escolher qualquer banco.

Todavia, é preciso ter alguns cuidados antes de fazer a operação para livrar-se do cheque especial. Primeiro, fique atento aos juros oferecidos pelas instituições. No site do Banco Central é possível encontrar uma lista com todas elas.

Segundo é que, assim que você definiu qual instituição, peça para o outro banco conceder o saldo de sua dívida. Com o valor em mãos, vá até a instituição para qual pretende mudar e faça uma simulação da portabilidade, inclusive contando com o CET (Custo Efetivo Total) da operação.

Lembrando que a portabilidade é isenta de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

6. Encerre o cheque especial

Apesar de ser uma mão na roda em casos de emergência, às vezes, pode ser difícil evitar que a situação financeira fique descontrolada.

Caso diminuir o valor do cheque especial não seja o suficiente, o melhor é pedir ao seu banco que retire esse crédito da sua conta. Pelo menos até que você consiga quitar totalmente a dívida.

Quando for cancelar o crédito, não se esqueça de pedir ao banco o extrato bancário e um documento comprovando a ação.

É importante que nesse documento estejam a solicitação, o carimbo da instituição e também a assinatura do funcionário presente. No caso do extrato, deve-se guardá-lo por no mínimo 5 anos.

Esperamos que essas informações sobre o que é cheque especial e como evitá-lo o ajude a lidar melhor com esse crédito.

Aqui na Quero Financiar, temos uma ótima alternativa para eliminar dívidas do cheque especial através do refinanciamento de veículos. Não se esqueça de assinar a nossa newsletter e receber mais do nosso conteúdo.

Deixe um comentário

Leia também:

Compartilhe e nos ajude:
Conheça nossas soluções de crédito
Visite nossas redes sociais
Últimas postagens
PRA VOCÊ
Últimas postagens