Já pensou em ter uma planilha de gastos pessoais? Saiba como fazer

Já pensou em ter uma planilha de gastos pessoais? Saiba como fazer

planilha de gastos pessoais
Divulgue essa notícia

Um dos pontos já pacificados entre os especialistas em educação financeira consiste no entendimento de que o endividamento das famílias brasileiras também decorre da falta de controle orçamentário. Nesse sentido, o primeiro passo para desenhar o mapa das suas finanças é ter uma planilha de gastos pessoais.

A elaboração de uma planilha desse tipo é muito simples, mas ela pode fazer toda a diferença na qualidade de vida da sua família. Pensando no seu bem-estar, neste texto, vamos tratar a respeito de boas práticas que são necessárias para que você possa ter excelência na gestão dos seus recursos pessoais. Acompanhe o conteúdo e descubra como proceder!

Escolha uma ferramenta

A planilha de gastos pessoais é fundamental para que você possa ter um controle preciso das receitas e das despesas. Ela torna possível tomar decisões com base no seu alcance financeiro. Nesse cenário, o primeiro passo para organizar suas finanças é fazer a escolha de uma ferramenta ideal para montá-la.

O mercado dispõe de uma série de opções para o controle financeiro. Por exemplo, os aplicativos para aparelhos de telefonia celular, como o Guia de Bolso e o Organize. Além disso, é possível optar por planilhas que são disponibilizadas nos sites dos principais educadores financeiros do Brasil, como Gustavo Cerbasi e Nathalia Arcuri.

Caso deseje elaborar sua própria planilha, as opções são bastante variadas. Você pode optar pelas planilhas do Excel, do Calc ou do Google. Esta, por sua vez, como se trata de uma solução em nuvem, pode ser acessada por meio de qualquer dispositivo eletrônico. Isso certamente facilitará o lance dos dados de onde quer que você esteja.

Anote os gastos fixo e variáveis

Uma vez selecionada a planilha eletrônica, precisamos dar o próximo passo. Faça anotações de todos os seus gastos, guarde notas fiscais, e, se preferir, verifique seu extrato bancário. De posse desses dados, classifique-os em gastos fixos ou variáveis.

Os gastos fixos consistem naqueles que ocorrem de forma recorrente. Enquadram-se nessa categoria as despesas com aluguel, água, luz, alimentação e transporte. Já os gastos variáveis são aqueles que ocorrem eventualmente, como uma viagem ou um reparo realizado no seu veículo.

Após essa divisão, alinhe as subcategorias. Por exemplo, a categoria custos fixos pode ser subdividida da seguinte maneira:

  • aluguel;
  • condomínio;
  • transporte;
  • escola;
  • faculdade;
  • telefonia.

A mesma lógica deve ser empregada para lançar os custos variáveis. Lembre-se de que essas despesas correspondem aos aportes destinados para custear gastos eventuais. Portanto, tenha total liberdade para criar a sua própria classificação. Quanto mais detalhada, mais fácil para que você possa compreender o seu comportamento de consumo.

Coloque os meses do ano

Com as informações classificadas e organizadas, a próxima ação será inserir os meses do ano na planilha. Para isso, você deve organizá-los em colunas. Essa disposição dos dados vai permitir que você consiga perceber variações nos seus gastos ao longo do tempo.

Por exemplo, para fazer o lançamento das despesas com transporte de agosto, você vai digitar o valor na célula em que ocorre o cruzamento da coluna referente a esse mês com a linha da subcategoria denominada transporte.

O mesmo processo deve ser empregado para lançar cada uma das suas despesas. Quando todos os dados estiverem organizados, você conseguirá ter a exata noção do quanto e como está gastando.

Faça a soma das despesas

O ponto máximo de todo esse processo ocorre no exato instante em que somamos o total das nossas despesas mensais. Seja no Excel, no Calc ou na planilha do Google, você terá que adotar as seguintes ações:

  • crie um campo específico para inserir o total das despesas;
  • posicione o mouse e clique nesse campo;
  • logo após, desloque o cursor até a função soma e clique em cima do ícone correspondente;
  • selecione todos os campos referentes ao mês que você pretende calcular;
  • repita o mesmo procedimento para cada mês.

Com os resultados devidamente dispostos, será possível verificar o comportamento das suas despesas. Essas informações são fundamentais para saber se estamos gastando de forma equilibrada.

Compare as receitas com as despesas

Além de possibilitar um mapeamento detalhado dos aportes empregados tanto em gastos fixos quanto em gastos variáveis, a planilha permite que você constate se está vivendo dentro das suas possibilidades ou se está extrapolando o seu alcance financeiro. Para isso, basta que você realize a subtração das suas receitas e das suas despesas.

De posse de todas essas informações, você poderá avaliá-las e fazer os ajustes necessários para que sejam projetados objetivos no curto, médio e longo prazo. Além disso, terá dados suficientes para decidir acerca da viabilidade de tomar um empréstimo para custear alguma despesa extra ou determinada dívida.

Invista na sua educação financeira

Especialistas têm destacado de maneira recorrente a importância do desenvolvimento de uma cultura educacional financeira. Sabemos que a aquisição de conhecimentos acerca do assunto é importante e que ela pode impactar de forma positiva para alterar o atual cenário econômico do país. Pequenas mudanças comportamentais poderão fazer a diferença no curto prazo.

Não se esqueça de que ” menos é sempre mais”, ou seja, comece por você. De modo simples, monitore constantemente seus gastos, faça projeções, promova ajustes se for necessário e, sobretudo, tenha muita disciplina. Avalie com cautela a conveniência e a oportunidade de realizar qualquer tipo de despesa fora das suas possibilidades. Afinal, uma dose de bom senso não faz mal a ninguém, não é mesmo?

Percebeu a importância de ter uma planilha de gastos pessoais? Agora que você adquiriu os conhecimentos elementares sobre essa prática, não há mais razões para não tomar uma atitude, arregaçar as suas mangas e começar a desenvolver um novo mindset financeiro.

Não perca de vista a necessidade de adquirir o hábito de controlar a forma como você realiza suas despesas. Isso permitirá mais controle sobre as suas finanças e mais tranquilidade para realizar seus projetos para o futuro.

Gostou do texto? Agora que você já sabe como fazer a sua planilha de gastos pessoais, aproveite a oportunidade para ler outro artigo e receber dicas valiosas sobre como realizar o planejamento financeiro.

Deixe um comentário

Leia também:

Compartilhe e nos ajude:
Conheça nossas soluções de crédito
Visite nossas redes sociais
Últimas postagens
PRA VOCÊ
Últimas postagens