7 dicas para fazer a declaração de imposto de renda corretamente

7 dicas para fazer a declaração de imposto de renda corretamente

7 dicas para fazer a declaração de imposto de renda corretamente

Todo o início de março a Receita Federal começa o processo para receber o imposto de renda. Nesse período, todos os brasileiros correm para reunir os dados necessários para apresentar. E muitos podem se confundir na hora de fazer a declaração de imposto de renda, que não pode ter erros ou informações omitidas.

Neste texto vamos apresentar tudo o que você precisa saber para fazer a sua. Acompanhe!

Pessoas que devem fazer o imposto de renda

Existem certas situações financeiras atribuídas ao contribuinte que o obrigam a fazer a declaração. Entenda abaixo:

  • pessoas que receberam rendimentos tributáveis, como salário, aposentadoria e aluguel acima de 28.559,70 no ano passado;
  • aqueles que obtiveram rendimentos acima de R$ 40.000 que são desobrigados ou não tributados na fonte, como é o caso de indenizações trabalhistas, poupanças e 13º salário;
  • aqueles que ganham com venda de bens;
  • os que fizeram qualquer tipo de operação na Bolsa;
  • donos de bens que valem R$300 mil ou mais;
  • aqueles que tiveram receita bruta em atividades rurais maiores que R$142.798,50;
  • pessoas que estava morando no exterior e voltaram a morar no Brasil em qualquer época do ano anterior.

Período para fazer a declaração de imposto de renda

O prazo da declaração é de 2 março até 28 de abril. Caso ocorra atraso na entrega dos documentos, o contribuinte pode pagar uma multa que vai de R$165,74 até 20% do imposto devido.

Tipos de declarações existentes

Completa

Aqui, podem ser utilizadas todas as deduções legais, como dependentes, saúde, previdência e educação. Não há limite para sua soma.

Simplificada

O contribuinte abre mão das deduções permitidas por lei. O IR, neste caso, utiliza o desconto padrão de 20% sobre o valor dos rendimentos limitados a R$16.754,34.

Dicas para realizar a declaração sem ter problemas

Confira algumas dicas que separamos para fazer a declaração do imposto de renda sem dificuldades:

1. Organize os seus documentos

A recomendação é que o contribuinte já tenha a documentação preparada antes do início do prazo da declaração — justamente porque são muitos documentos — e que também guarde os documentos antigos para usá-los posteriormente. Abaixo segue a lista dos papéis exigidos:

  • comprovante dos ganhos;
  • informe de rendimentos para aposentados e pensionistas;
  • extrato de aluguéis de proprietários do imóvel;
  • extrato de carnê-leão recolhido no ano passado;
  • informe de remunerações financeiras emitidas pelo banco do contribuinte;
  • comprovantes de pagamento de mensalidades escolares, inclusive dos dependentes;
  • demonstrativo de pagamento de plano de saúde;
  • notas fiscais e recibos de profissionais da saúde;
  • demonstrativos de contribuições para previdência privada;
  • documentos referentes a compra ou venda de bens, como imóveis, veículos, etc;
  • no caso de trabalhadores autônomos, os comprovantes de despesas do livro-caixa;
  • extrato com o resumo de operações feitas na Bolsa de Valores;
  • comprovantes de doações com incentivo fiscal.

2. Utilize a tecnologia

A própria Receita Federal criou um programa para quem precisa declarar o imposto. O aplicativo faz um rascunho da declaração e pode ser instalado no computador e em dispositivos móveis. Graças a ele, é possível para o tributário ter uma prévia de como ficará o documento e qual é o melhor modelo a ser enviado.

Além disso, existe a plataforma Imposto Rápido na qual é possível mandar todos os documentos digitalizados. Assim a declaração é feita no prazo de forma prática e segura. Esse sistema é capaz, inclusive, de analisar os erros nos documentos enviados.

3. Use seu plano de Previdência Privada

Para aqueles que pretendem usar o seu plano de previdência privada para obter descontos na declaração, é importante saber que isso só pode ser feito quando o modelo da previdência é PGBL em até 12% do valor total do tributo. Não é permitido dedução em planos VGBL.

Contudo, os dois planos devem ser declarados em partes diferentes. O PGBL precisa ser informado na ficha de “Pagamentos Efetuados” código 36, enquanto o VGBL nos “Bens e Direitos” código 97.

Para quem já contribui em previdências oficiais, como o setor privado, autônomo ou é funcionário público também há descontos.

4. Guarde documentos referentes a saúde, educação e pensões

Se você tiver que pagar pensões alimentícias garantidas por lei, despesas médicas e instruções, pode usar esses documentos para conseguir a restituição. Procure guardá-los em um lugar seguro e quando for declarar, seja sincero em relação as informações contidas nessas áreas.

5. Utilize os dados das suas doações

Aqui, os dados das doações podem ser utilizados caso o contribuinte faça a declaração do Imposto de Renda completa. O desconto para doações é de 6% e inclui fundos de direitos da criança e adolescente, patrocínios para projetos culturais e artísticos e atividades audiovisuais.

6. Adicione os seus empregados

Caso o tributário tenha empregados domésticos, ele pode registrá-los e entregar os valores pagos ao INSS. O desconto corresponde ao salário-mínimo durante o ano mais o 13º e um terço das férias e vale para valores de até R$1.093,77.

Mesmo que o empregado receba um valor maior, o desconto será apenas até o limite aceito pela Receita Federal. Além disso, a dedução só poderá ser feita com um empregado.

Se o contribuinte tiver dois ou mais empregados, terá que escolher apenas um, contudo, se outra pessoa na casa também declara, ela pode lançar a contribuição do INSS desse empregado.

7. Coloque os seus dependentes

É possível somar os rendimentos dos seus dependentes na declaração, inclusive seus pais. Claro que é preciso estar de acordo com algumas condições como idade e ter uma comprovação judicial da dependência. Fora que neste ano os dependentes a partir de 12 anos precisam ter CPF.

Também é importante colocar as remunerações vindas de estágios ou pensões alimentícias que eles recebem. Se o valor ao ano for superior R$28.559,70, na declaração não deve constar a dependência e deve ser realizada separada, não importando a idade.

Com essas dicas esperamos que você possa obter mais vantagens ao fazer a declaração de imposto de renda e que assim não tenha dificuldades ao enviar os seus documentos.

Se você gostou das dicas, não se esqueça de curtir a nossa página no Facebook, assim você poderá acompanhar todas as nossas atualizações!

Deixe um comentário

Leia também:

  • É preciso comprovar renda para conseguir empréstimo com imóvel em garantia?

    Sumário Conseguir realizar um sonho é a meta de vida de todas as pessoas, não é mesmo? Isso porque, sempre estamos em busca de alcançar nossos objetivos pessoais e financeiros. Mas, muitos deles exigem uma quantia bem alta de dinheiro, e para esses casos, é interessante lembrar que existe o empréstimo com imóvel em garantia.

    18 de fevereiro de 2023
  • Como fazer um empréstimo para negociar as dívidas

    É cada vez mais fácil de cair em uma armadilha de dívidas e muitas vezes é difícil encontrar uma saída. Uma forma de sair da dívida é negociar suas dívidas com o credor. Uma maneira de negociar suas dívidas é com um empréstimo. Ele pode ser usado para pagar as dívidas atuais e para ajudar a

    2 de abril de 2023
  • Está afundado em contas? Conheça 2 soluções

    https://www.youtube.com/watch?v=IrJjTO-cV4M Cuidar das finanças pode não ser uma tarefa tão simples. Dessa maneira, quando você menos espera, por descuido ou até mesmo emergências financeiras, pode se encontrar afundado em contas. Com isso, pode surgir a dúvida: o que pode ser feito? Na hora de gastar ou criar novas dívidas, é muito importante que se esteja

    21 de janeiro de 2023